Gonçalo Mira



O meu nome é Gonçalo Mira e nasci em 1986, em Setúbal (para mal dos meus pecados). O rapaz na foto sou eu, fazendo uma pausa depois de ter terminado a leitura da obra completa de Dostoievsky.

Sou colaborador do Ípsilon, do jornal Público, como crítico literário, desde 2010.

Em 2014 publiquei Fontelo, o meu primeiro livro, em edição de autor. No mesmo ano, fundei a editora Flan de Tal, com o João Pedro Azul e o Emanuel Amorim. Sou um dos autores do primeiro livro da editora, um poema colectivo intitulado Poemanifesto, que escrevemos para o dia de Portugal e que fomos ler ao Panteão Nacional para uma audiência de cerca de zero pessoas.

Tenho uma licenciatura da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (calma, não se riam já, leiam o resto da frase), num curso que foi criado no ano em que entrei e dissolvido no ano em que o terminei (mas, hey, ao menos terminei um curso). Trabalhei em livrarias, editoras, um festival de cinema e coisas menos interessantes como uma sociedade de advogados ou um backoffice de uma empresa de telecomunicações

Quando era um jovem ingénuo e incauto, em 2006, criei o blogue / revista digital Orgia Literária, de que fui editor até à sua morte, em 2015.

Tenho alguns poemas e contos publicados em revistas e afins. Se vos interessar mesmo, está ali na página das Publicações.

Se me quiserem contactar, ainda que eu não vislumbre o porquê, o e-mail é: goncalomira@gmail.com